Walking the Microservices Path towards Loose coupling? Look out for these Pitfalls

Nesse post, Srinath Perera ataca algumas armadilhas ao usar microsserviços:

1. Como fazer se não pode haver banco de dados compartilhado entre serviços: usar mensagens assíncronas, usar transações ou juntar os serviços que precisam dos mesmos dados.

2. Como lidar com a consistência dos serviços nas atualizações: contenha as atualizações em um serviço, e evite atualizações que afetem vários de uma vez, e, em vez de transações, use compensações.

3. Como lidar com a segurança: use um servidor de autenticação e tokens assinados.

4. Como compor os microsserviços: deixe o cliente tratar com os vários serviços, ou trabalhe com orquestração ou tenha um servidor central.

5. Evite o “inferno das dependências”: use um gateway que sabe qual serviço pode tratar qual versão da API, ou use orquestração.

O texto também está cheio de links para algumas fontes mais detalhadas sobre cada assunto.

My views of the World and Systems

(image credit: Wiros from Barcelona, Spain)

Microservices are the new architecture style of building systems using simple, lightweight, loosely coupled services that can be developed and released independently of each other.

If you need to know the basics, read Martin Fowler’s Post. If you like to compare it with SOA, watch the Don Ferguson’s talk.). Also, Martin Fowler has written about “trade off of micro services” and “when it is worth doing microservices”, which let you decide when it is useful.

Let’s say that you heard, read, and got convinced about microservices. If you are trying to follow the microservices architecture, there are few practical challenges. This post discusses how you can handle some of those challenges.

No Shared Database(s)

Each microservice should have it’s own databases and Data MUST not be shared via a database. This rule removes a common case that leads…

Ver o post original 1.796 mais palavras

Anúncios
SpaceX

SpaceX e o pouso no mar

Nessa sexta-feira, dia 8 de abril, a SpaceX realizou mais um lançamento no Cabo Canaveral, na Flórida. O objetivo principal era levar para a Estação Espacial Internacional suprimentos e outras coisas legais, entre elas um módulo inflável. Somente módulo inflável já é motivo de empolgação para a comunidade científica e para os fãs de exploração … Continue lendo SpaceX e o pouso no mar

Docker

No post passado, comentei que uma atualização do Amazon Beanstalk permite Java 8 e GlassFish 4.1. E com essa atualização, a Amazon também começa a trabalhar com Docker. Para quem ainda não conhece, o Docker permite que você tenha vários aplicativos rodando de forma independente. É como uma máquina virtual, mas o Docker permite utilizar … Continue lendo Docker

De Volta para o Futuro

25 anos atrás, Marty McFly usava skates voadores e era engolido por um tubarão holográfico, em uma visão divertida de 2015. Mesmo sem a intenção de prever como seria o futuro, várias coisas viraram realidade ou estimularam a imaginação de muita gente. Inspirado pela imagem acima, juntei algumas referências para quem quer dar uma espiada no futuro. Muitas coisas vão nos surpreender em 2015 e no futuro próximo.